ÚLTIMAS NOTÍCIAS

  • 19/10/2018
     A ATRHOL – Agência e Transporte Horizontina Ltda, foi fundada em 21 de outubro de 1978 como Associação dos Motoristas de Horizontina, que tinha como finalidade transportar os primeiros implementos fabricados no município. Só em 2004 a empresa passou a ser chamada de Agência e Transportes Horizontina Ltda. Sua expansão iniciou em 2005, tendo sua primeira filial no município de Catalão(GO), seguidamente em Montenegro(RS), Mogi das Cruzes e Indaiatuba (SP), Curitiba (PR) e em Canoas (RS), onde atualmente está centralizada a administração da ATRHOL.   A Agência conta com uma frota de aproximadamente 400 caminhões devidamente apropriados para transporte de cargas, sempre com motoristas qualificados trabalhando arduamente no transporte de carga em todo território nacional, além de países como Argentina, Paraguai, Uruguai, Peru, Bolívia e Chile.   No próximo domingo (dia 21/09), a ATRHOL completa 40 anos de história e gostaríamos de parabenizar toda a equipe pela belíssima trajetória no transporte rodoviário de cargas. Sabemos o quanto este trabalho é árduo, mas a persistência e a responsabilidade de empresas como a ATRHOL movem o setor e nos fazem acreditar em um futuro ainda mais promissor.   PARABÉNS, ATRHOL!!   Essa é a ATRHOL, patrocinadora Premium do 1º Congresso Itinerante do Transporte Rodoviário Internacional. Para saber mais, basta acessarwww.atrhol.com.br   Matéria pertence ao site: WWW.ABTI.COM.BR - Link Original abaixo: http://www.abti.com.br/informacao/noticias/1063-saiba-mais-sobre-a-atrhol-nossa-patrocinadora-premium Leia Mais
  • 15/10/2018
    Fim da obrigação de reconhecimento de firma, dispensa de autenticação de cópias e não-exigência de determinados documentos pessoais para o cidadão que lidar com órgãos do governo. É o que prevê a Lei nº 13.726, de 2018, sancionada e publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (09/10). O texto também prevê a criação do selo de desburocratização na administração pública e premiação para órgãos que simplificarem o funcionamento e melhorarem o atendimento a usuários.   A nova lei tem origem no substitutivo da Câmara (SCD nº 8/2018) ao PLS nº 214/2014, do senador Armando Monteiro (PTB-PE), aprovado no Senado no início de setembro.   Pela nova lei, órgãos públicos de todas as esferas não poderão mais exigir do cidadão o reconhecimento de firma, autenticação de cópia de documento, além de apresentação de certidão de nascimento, título de eleitor (exceto para votar ou registrar candidatura) e autorização com firma reconhecida para viagem de menor se os pais estiverem presentes no embarque.   Para a dispensa de reconhecimento de firma, o servidor deverá comparar a assinatura do cidadão com a firma que consta no documento de identidade. Para a dispensa de autenticação de cópia de documento, haverá apenas a comparação entre original e cópia, podendo o funcionário atestar a autenticidade. Já a apresentação da certidão de nascimento poderá ser substituída por cédula de identidade, título de eleitor, identidade expedida por conselho regional de fiscalização profissional, carteira de trabalho, certificado de prestação ou de isenção do serviço militar, passaporte ou identidade funcional expedida por órgão público.   Quando não for possível fazer a comprovação de regularidade da documentação, o cidadão poderá firmar declaração escrita atestando a veracidade das informações. Em caso de declaração falsa, haverá sanções administrativas, civis e penais.   Os órgãos públicos também não poderão exigir do cidadão a apresentação de certidão ou documento expedido por outro órgão ou entidade do mesmo poder, com exceção dos seguintes casos: certidão de antecedentes criminais, informações sobre pessoa jurídica e outras previstas expressamente em lei.   Selo de desburocratização   A nova lei ainda tenta racionalizar e simplificar atos e procedimentos administrativos dentro dos próprios órgãos públicos. Esses poderão criar grupos de trabalho com o objetivo de identificar exigências descabidas ou exageradas ou procedimentos desnecessários, além de sugerir medidas legais ou regulamentares para eliminar o excesso de burocracia.   O texto também prevê a criação do Selo de Desburocratização e Simplificação, destinado a reconhecer e a estimular projetos, programas e práticas que simplifiquem o funcionamento da administração pública e melhorem o atendimento aos usuários dos serviços públicos.   O Selo será concedido por comissão formada por representantes da administração pública e da sociedade civil, com base em critérios de racionalização de processos e procedimentos administrativos, eliminação de formalidades desnecessárias, ganhos sociais, redução do tempo de espera no atendimento ao usuário, além de adoção de soluções tecnológicas ou organizacionais que possam ser replicadas em outras esferas da administração.   Serão premiados, anualmente, dois órgãos ou entidades, em cada unidade federativa, selecionados com base nos critérios estabelecidos pela nova lei.   Vetos    Foi vetada, entre outros pontos, a previsão de que órgãos públicos disponibilizem em página de internet mecanismo próprio para a apresentação, pelo cidadão, de requerimento relativo a seus direitos.   A razão para o veto reconhece a importância desse mecanismo, mas alega que requer alta complexidade técnica, o que levaria tempo para a implementação. “O assunto poderá ser tratado posteriormente, de modo mais adequado, sem prejuízo de, exercendo sua autonomia federativa, os demais entes regulem por leis próprias a desburocratização do acesso do cidadão aos seus direitos”, completa a justificativa.   Também foi vetada a previsão de que a lei entraria em vigor já nesta terça-feira, na data de publicação no Diário Oficial da União. "A norma possui amplo alcance, pois afeta a relação dos cidadãos com o poder público, em seus atos e procedimentos administrativos. Sempre que a norma possua grande repercussão, deverá ter sua vigência iniciada em prazo que permita sua divulgação e conhecimento, bem como a necessária adaptação de processos e sistemas de trabalho”, justifica o Executivo.   Fonte: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/10/09/sancionada-lei-que-dispensa-reconhecimento-de-firma-e-autenticacao-de-documento   Leia Mais
  • 04/05/2018
    Em sua 25ª edição, a Agrishow segue com reconhecimento nacional e internacional. É uma das três maiores feiras de tecnologia agrícola do mundo e a maior e mais importante na América Latina. O evento é o mais aguardado do ano para o lançamento das principais tendências e inovações tecnológicas para o agronegócio. A ATRHOL esteve presente em mais um ano de feira.    Leia Mais

COMEÇA COBRANÇA DE TARIFA EM PRAÇAS DE PEDÁGIO NA BR-050
06/04/2015

Cinco praças de pedágio entram em operação na semana de 12 a 18 de abril. Tarifas básicas variam de R$ 3,10 a R$ 5,20. Praça Ipameri (GO) ainda não tem data para início de cobrança.

 

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), responsável pela fiscalização do contrato de concessão da BR-050, autorizou a MGO Rodovias a iniciar a cobrança de tarifa em cinco das seis praças de pedágio na BR-050 nas datas abaixo relacionadas, assim como o valor das tarifas por categoria de veículo. A tarifa básica (categoria 1) é aplicada a veículos de passeio; outras categorias de veículos terão preços diferenciados, conforme a tabela abaixo:

 

         TARIFAS DE PEDÁGIO POR CATEGORIA DE VEÍCULO

 

         Obs: Para os veículos com mais de 6 (seis) eixos, será adotado o valor correspondente a Categoria 1 multiplicado pelo número de eixos do veículo que excederem a 6 (seis) eixos.  Para efeito de contagem do número de eixos do veículo será considerado o número total de eixos, independentemente de serem suspensos ou não.

 

Vale ressaltar que a Resolução Nº 4.652, publicada no Diário Oficial da União hoje, 02 de abril de 2015, autorizando a cobrança de tarifa nas praças Campo Alegre, Araguari 1, Araguari 2, Uberlândia e Delta, ocorre depois da concessionária atender todos os pré-requisitos exigidos no contrato de concessão: conclusão dos Trabalhos Iniciais no Sistema Rodoviário; a implantação de 10% (dez por cento) da extensão total das obras de duplicação previstas no Programa de Exploração da Rodovia - PER; a implantação das praças de pedágio; e a entrega do programa de redução de acidentes e do cadastro do passivo ambiental no trecho concedido.

 

 

 

 

As tarifas básicas de pedágio de cada praça, valor pago pelo usuário como contraprestação às obras realizadas e serviços oferecidos na rodovia, foram definidas tendo como base o valor de R$ 4,53 para cada 100 quilômetros (ou R$ 0,0453/km) estabelecido na data do edital de licitação (maio 2012). Esse valor foi atualizado pela variação do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Ampliado até a data de início da cobrança das praças, e será corrigido anualmente; conforme estabelece o contrato de concessão. Os valores das tarifas por praça de pedágio variam em decorrência do TCP – Trecho de Cobertura da Praça, também pré-estabelecido no contrato, considerando o valor da tarifa básica multiplicado pelo TCP de cada praça, entre outros fatores.

 

As cinco praças de pedágio serão operadas por 228 funcionários (agentes de arrecadação), todos contratados nos municípios e região onde elas estão localizadas.

 

Investimentos - Em 30 anos de concessão, a MGO Rodovias vai investir R$ 3 bilhões na BR-050. Desse total, R$ 2,38 bilhões destinam-se a intervenções estruturais no pavimento e melhorias funcionais e operacionais e R$ 650 milhões especificamente para ampliação/duplicação da rodovia. Nos 5 primeiros anos serão R$ 1,36 bilhão em investimentos, sendo que em 2014 a concessionária já investiu R$ 186,5 milhões e neste ano investirá R$ 280 milhões.

 

Os benefícios aos usuários e para a economia dos municípios localizados no trecho sob concessão na BR-050 já puderam ser observados em 2014, primeiro ano de concessão da MGO Rodovias. A concessionária gerou 1.674 empregos diretos e cerca de 2.500 indiretos nos municípios. Neste ano, esses municípios também terão uma nova fonte de receita: a arrecadação de ISSQN sobre a arrecadação das praças de pedágio, que é proporcional à extensão da área territorial de cada município na BR-050.